• Canal Saúde - Fiocruz
  • atalho para menu o principal desta página
  • atalho para a busca de vídeos desta página
  • atalho para o conteúdo desta página
  • atalho para os destaques desta página
  • CANAL SAÚDE REALIZA OFICINA DE COMUNICAÇÃO E SAÚDE NO PARÁ

    27/10/2015

    O mini-curso, realizado em parceria com o Conselho Estadual de Saúde do Pará, ocorreu nos dias 21, 22 e 23 de outubro na sede no Núcleo Estadual do Ministério da Saúde no Pará (NEMS/PA), na cidade de Belém (PA).



     

    O Canal Saúde realizou mais uma Oficina de Comunicação e Saúde. Dessa vez, na região Norte do país. O mini-curso, realizado em parceria com o Conselho Estadual de Saúde do Pará (CES/PA), ocorreu nos dias 21, 22 e 23 de outubro na sede no Núcleo Estadual do Ministério da Saúde no Pará (NEMS/PA), na cidade de Belém (PA).

     

    Cerca de 20 pessoas, entre conselheiros de saúde, jornalistas, trabalhadores do SUS e profissionais da Secretaria Estadual de Saúde do Pará, da Secretaria Municipal de Saúde de Belém e do Ministério da Saúde participaram da oficina, ministrada pela coordenadora de mobilização do Canal Saúde, Nicole Leão. Durante os três dias, foram debatidos temas como: comunicação como direito humano, comunicação pública nas redes sociais, SUS na mídia, relacionamento com a imprensa e planejamento em comunicação.

     

    A avaliação dos participantes foi bastante positiva. “Foi maravilhoso. Vamos compartilhar o que foi mostrado na oficina para todas as comissões do Conselho Estadual já na nossa próxima reunião”, conta a jornalista e conselheira de Saúde do Pará, Socorro Pereira. Ela foi uma das articuladoras para que a oficina fosse realizada em Belém.  “A oficina nos mostrou a importância do comprometimento dos conselheiros com a comunicação. Foi um pouco difícil aprovar a realização da atividade dentro do Conselho. Mas agora todo mundo já quer de novo”, relata Socorro. Segundo ela, o próximo passo é instalar uma Assessoria de Comunicação no CES/PA.

     

    Outra ideia surgida durante a oficina foi a criação de um Núcleo Audiovisual dentro do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde. “Isso nos ajudaria a dar visibilidades às ações do SUS no estado do Pará”, explica Wilma Pinheiro, do NEMS/PA.

     

     O exercício que detalha a dinâmica da construção de um planejamento de comunicação em saúde foi um dos que mais mobilizou a participação da turma. “Vai nos fazer melhorar a forma de utilizar a comunicação no dia a dia do nosso trabalho”, escreveu uma das participantes na avaliação realizada ao final das atividades, ao ser perguntada sobre quais competências teria desenvolvido durante a oficina. Outro participante pediu que a oficina fosse desenvolvida outras vezes no estado, em parceria com o Fórum de Educação Permanente de Saúde do Pará (FEPS).

     

    As oficinas oferecidas pelo Canal Saúde visam ampliar o diálogo entre a emissora e seu público prioritário, além de fomentar os debates sobre comunicação e educação em saúde. 

    PESQUISA DE AUDIÊNCIA DO CANAL SAÚDE ENTRA NA RETA FINAL

    19/10/2015

    Trabalho busca conhecer melhor o público que assiste ao Canal para adequar a programação às expectativas dos telespectadores.



    A equipe do Canal Saúde concluiu a segunda fase da quarta pesquisa de audiência da emissora (as outras foram realizadas em 1996, 2000 e 2004), trabalho que busca conhecer melhor o público que assiste ao Canal para adequar a programação às expectativas dos telespectadores.  De acordo com a superintendente da emissora, Márcia Correa e Castro, é imprescindível estar atento ao que o as pessoas querem ver: “É importante a gente travar contato com quem assiste. Saber quais as expectativas deles em relação ao canal, para a gente poder produzir alguma coisa que de fato seja útil para o SUS”, afirma.

     

    Esta pesquisa, de abrangência nacional, foi iniciada em 2013, com uma etapa quantitativa na qual os participantes responderam a um questionário disponível em vários canais: pela internet, pelo telefone e por meio de um formulário encartado na revista Radis (e que poderia ser enviado gratuitamente pelos Correios). O levantamento contou ainda com questionários aplicados presencialmente em alguns eventos – como no seminário “Que Canal Saúde você quer ver?”, realizado na Fiocruz em maio de 2013.

     

    As respostas obtidas serviram de base para o prosseguimento da pesquisa e para a realização de uma etapa qualitativa mais aprofundada, iniciada em março de 2015, com o objetivo de colher diretamente dos espectadores suas opiniões sobre a programação do Canal Saúde. Um grande desafio que envolveu o mapeamento e a identificação desses telespectadores em todas as regiões do país, o convite para participação presencial voluntária na pesquisa, o planejamento logístico para deslocamento dos participantes e a organização de grupos focais (método de avaliação qualitativo que coleta dados por meio de interações grupais).

     

    Em junho e julho de 2015 foram realizados três grupos focais conduzidos pelos pesquisadores-bolsistas contratados pelo Canal Saúde: Cláudia Regina Ribeiro, Marcela Soalheiro e Pedro Curi. Os grupos foram realizados em Recife (PE), Belo Horizonte (MG) e Goiânia (GO). “As discussões foram bastante produtivas. Como foram atividades sigilosas, os participantes tiveram total liberdade para manifestar suas opiniões. E se sentiram muito à vontade para isso, expressaram seus pontos de vista - positivos mas também negativos - sobre o Canal Saúde, sua programação, formas de utilização e a programação de televisão sobre saúde em geral. Ouvimos muita coisa que não esperávamos”, relata a coordenadora de mobilização do Canal Saúde, Nicole Leão, que acompanhou as atividades e deu apoio operacional à realização dos grupos.

     

    Todos os debates foram gravados, sistematizados e agora estão sendo analisados pelos pesquisadores – a terceira e última fase do processo de pesquisa. O relatório final analítico com as conclusões será apresentado em novembro, em uma reunião com a equipe de coordenação do Canal Saúde. Ele irá embasar uma nova estratégia de mobilização, fidelização e diálogo com o público do Canal Saúde.

    CANAL SAÚDE PARTICIPA DE SEMINÁRIO SOBRE COMUNICAÇÃO E SAÚDE NO ES

    09/10/2015

    “I Seminário Capixaba de Comunicação e Saúde: pensando estratégias e práticas de comunicação para o SUS” foi realizado no Campus Maruípe da UFES, em Vitória (ES).



    O Canal Saúde participou do “I Seminário Capixaba de Comunicação e Saúde: pensando estratégias e práticas de comunicação para o SUS”, realizado nos dias 06 e 07 de outubro no Campus Maruípe da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), em Vitória (ES). Buscando ampliar o intercâmbio entre pesquisadores, alunos, profissionais da saúde, da comunicação e sociedade civil sobre o campo da Comunicação e Saúde, o evento contou com debates sobre Construção Midiática de Doenças, Doenças Midiaticamente Negligenciadas e Observatórios de Saúde na Mídia.

     

    O audiovisual também teve espaço. Um mesa discutiu as experiências da VideoSaúde, distribuidora da Fiocruz, e da TV UFES, emissora da universidade capixaba. Durante o evento foram exibidos os documentários “Baía do Espírito Santo – Um olhar canela-verde”, de Antônio Claudino de Jesus, e “Parir é Natural”, de Silvio Tendler.

     

    A coordenadora de Mobilização do Canal Saúde, Nicole Leão, participou do Seminário e contribuiu com os debates em intervenções sobre a experiência do Canal como emissora de televisão do Sistema Público de Saúde (SUS). Ela também distribui o material impresso divulgando o #CanalSaudena15, cobertura colaborativa do Canal sobre o processo da 15ª Conferência Nacional de Saúde. “O evento foi bastante produtivo pois integrou diferentes pesquisadores das áreas de Comunicação Pública e Saúde Coletiva que relataram suas experiências bem-sucedidas na interface entre esses dois campos”, conta Nicole. “Aproveitamos para fazer contato com o pessoal da TV UFES, que pode futuramente integrar a rede de emissoras parceiras do Canal Saúde”, completa.

     

    O “I Seminário Capixaba de Comunicação e Saúde: pensando estratégias e práticas de comunicação para o SUS” foi promovido pelo Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva (PPGSC) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), em parceria com o Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT/Fiocruz).