• Canal Saúde - Fiocruz
  • atalho para menu o principal desta página
  • atalho para a busca de vídeos desta página
  • atalho para o conteúdo desta página
  • atalho para os destaques desta página
  • Canal Saúde repete parceria com Mostra de Vídeos Estudantis

    28/11/2016

    Pelo segundo ano consecutivo, o Canal Saúde foi parceiro da Mostra do Audiovisual Estudantil Joaquim Venâncio, evento que reúne alunos na realização e discussão sobre a produção audiovisual.



     

    Pelo segundo ano consecutivo, o Canal Saúde foi parceiro da Mostra do Audiovisual Estudantil Joaquim Venâncio. O evento, realizado desde 2011 pelo Núcleo de Tecnologias Educacionais em Saúde (NUTED) da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), reúne alunos e professores dos ensinos fundamental e médio de escolas públicas na realização e discussão sobre a produção audiovisual. Além de envolver os jovens na produção audiovisual, a Mostra propõe aos alunos refletirem criticamente sobre o papel da imagem na sociedade contemporânea.

     

    Em 2016, a sexta edição da Mostra - que não é competitiva - recebeu e analisou 55 vídeos inscritos, sendo dois espanhóis e três argentinos. Desses, 24 foram selecionados e exibidos no evento, que ocorreu nos dias 23, 24 e 25 de novembro na Escola Politécnica,  no campus da Fiocruz em Manguinhos, no Rio de Janeiro (RJ). Além dos curtas estudantis, foram exibidos dois longas-metragens - “Menino 23” e “Boi Neon” – e realizados debates com a produtora de impacto Rossana Giesteira e com o ator Vinicius de Oliveira

     

    A programação incluiu ainda oficinas dedicadas à exploração lúdica de diversas áreas do audiovisual, como “Sujeitos Luminosos – Neon”, “Games”, “Scanner 3D e Colagem”, “Prática de Teatro-Fórum” e “Representatividade LGBT”. O Canal Saúde ofereceu a oficina de “Realização em TV”. Na tarde do dia 23/11, acompanhados do monitor José Victor e guiados pela jornalista do Canal Saúde, Adriana Nunes, 12 alunos do Ensino Médio visitaram as instalações da emissora. No estúdio, eles conversaram com o apresentador do programa “Canal Saúde na Estrada”, Eduardo Souza, que explicou como funciona a rotina de gravações e mostrou como é elaborado um roteiro de televisão. Já os editores Bruno Ribeiro e Maicon Oliveira contaram como é feito o trabalho de edição – uma das etapas que mais encantou a turma.

     

    Divididos em três grupos, os jovens ainda visitaram a redação de jornalismo, o playout (setor que envia o sinal gerado pela emissora para ser exibido), as ilhas de catalogação e a U.M. – unidade móvel do Canal Saúde.

     

    Assim como em 2015, parceria com a Mostra Joaquim Venâncio envolve também a exibição, no Canal Saúde, dos vídeos que mais se destacaram durante o evento. Os próprios alunos realizadores vão gravar, no estúdio da emissora, as cabeças e chamadas que introduzirão os vídeos durante a programação do Canal.

    Oficina de Comunicação e Saúde integra comemorações da Consciência Negra em Santo André (SP)

    25/11/2016

    O Canal Saúde realizou mais uma edição da oficina de Comunicação e Saúde. No dia 23 de novembro de 2016, a atividade foi realizada em Santo André, cidade na região do ABCD paulista.



    O Canal Saúde realizou mais uma edição da oficina de Comunicação e Saúde, atividade realizada pelo setor de mobilização da emissora.  No dia 23 de novembro de 2016, a atividade foi realizada em Santo André, cidade de 700 mil habitantes na região do ABCD paulista.

     

    O convite partiu da coordenação do Comitê de Saúde da População Negra da Secretaria de Municipal de Saúde. A oficina fez parte das comemorações do dia 20 de novembro, dia da Consciência Negra, no município de Santo André.

     

    Durante uma manhã e uma tarde, a coordenadora de mobilização do Canal Saúde, Nicole Leão, e cerca de 20 participantes, entre técnicos da saúde, conselheiros, agentes comunitários de saúde e profissionais da prefeitura, debateram sobre o desenvolvimento de estratégias de comunicação para a promoção da saúde pública.

     

    Além de temas como comunicação como direito humano, relações entre comunicação e saúde, mídia e SUS, novas tecnologias e redes sociais, a oficina abordou a igualdade racial durante o exercício no qual os participantes, divididos em grupos, criaram estratégias de comunicação digital para combater o racismo institucional.

     

     A oficina de Comunicação e Saúde do Canal Saúde foi realizada na Escola da Saúde Dr. Eduardo Nakamura, em Santo André (SP), durante cerca de oito horas.  A coordenadora do Comitê de Saúde da População Negra de Santo André, Marcia Furquim, elogiou a oficina, mas lamentou a duração. “Pudemos perceber a comunicação como algo a mais do que o repasse de informações. E pensamos em como refletir os princípios do SUS nas ações de saúde e comunicação. Pena que o tempo foi pouco”, disse ela, avaliando a atividade.

     

    Tenho interesse!

     

    Ficou interessado em levar a Oficina de Comunicação e Saúde para sua localidade? Então entre em contato com o Canal Saúde pelo e-mail mobilizacaocanal@fiocruz.br ou então pelo telefone (21) 3194-7712.

    Congresso de Saúde Pública no Paraná recebe oficina do Canal Saúde

    29/07/2016

    Atividade debateu como a comunicação pode auxiliar na relação entre profissionais de saúde e usuários do SUS



    (por Nicole Leão - Mobilização/Canal Saúde)

     

    O Canal Saúde realizou na quinta-feira (28/07), em parceria com a Assessoria de Comunicação da Secretaria da Saúde do Paraná (SESA), mais uma edição da sua oficina de Comunicação e Saúde, desta vez no litoral do Paraná. A atividade fez parte do 3º Congresso Paranaense de Saúde Pública , promovido pelo Instituto de Estudos em Saúde Coletiva (INESCO) em parceria com a Escola de Saúde Pública  da SESA, no Campus Litoral da Universidade Federal do Paraná (UFPR), no município de Matinhos (PR).

     

    Ao todo, 27 pessoas participaram, entre agentes comunitários de saúde, profissionais e estudantes da área. Pela manhã, a superintendente do Canal Saúde, Marcia Correa e Castro, abriu a oficina apresentando o Canal Saúde. Logo em seguida, a coordenadora de comunicação da SESA, Quitéria Neves, falou sobre o trabalho da assessoria na Secretaria de Saúde do Estado, e destacou a necessidade de se adaptar a linguagem utilizada em cada ação de comunicação em saúde a um público-alvo específico.

     

    Na parte da manhã, o debate teve como foco a comunicação como espaço de construção de sentidos e  verdades e como processo contínuo de diálogo em rede. Os participantes foram orientados a aplicar os princípios (universalidade, equidade e integralidade) e as diretrizes (descentralização, hierarquização e participação popular) do Sistema Único de Saúde (SUS) também nas ações de comunicação relacionadas à saúde.

     

    Saúde: tema que não sai da mídia

     

    Na parte da tarde, Quitéria fez uma exposição sobre a relação entre saúde pública e mídia, e debateu com os participantes o cenário, frequentemente propagado pela mídia, de que há "um caos na saúde pública brasileira". As possibilidades e os desafios criados pelo crescimento das redes sociais também tiveram espaço na discussão. A parte final da oficina foi ocupada por um exercício: os participantes de dividiram em grupos e elaboraram o escopo de planos de comunicação para combater situações-problemas vividas na rotina dos profissionais de saúde.

     

    Comunicação como instrumento de trabalho na saúde

     

    Segundo Quitéria, o grande mérito desta oficina de Comunicação e Saúde foi ensinar os participantes a usarem constantemente as ações comunicacionais como ferramentas de trabalho. "Para o profissional de saúde, parece que a comunicação está fora da sua atividade. A oficina é o espaço para que as pessoas entendam o papel da comunicação, e possam usar isso de forma mais eficiente", explica.

     

    Joseane Amaral, que é agente comunitária de saúde no município de Wenceslau Braz (PR), concorda, e diz que o conteúdo recebido vai ajudar no seu trabalho. "Informação sempre ajuda. Na oficina, vimos que tudo tem a forma de falar. Se você falar a mesma coisa, mas de forma errada, não vai ter o mesmo resultado. Isso a gente vai aprendendo", comenta. Ela elogiou o ritmo e a dinâmica da atividade. "Nós viemos de longe e chegamos de madrugada. Imaginamos que estaríamos muito cansadas hoje, mas foi animado e interessante, isso que é importante", conclui. 

     

    Para a superintendente do  Canal Saúde, Marcia Correa e Castro, que ministrou a oficina, o perfil dos participantes contribuiu para o enriquecimento do debate. "O mais interessante  é que foi um público formado majoritariamente por agentes comunitários de saúde, o que nos permitiu abordar a comunicação mais diretamente na relação do profissional com o usuário do SUS -  uma perspectiva não comumente abordada nesse tipo de oficina", explicou.

     

    Sobre o Congresso

    O 3º Congresso Paranaense de Saúde Pública ocorre de 27 a 30 de julho de 2016, e tem como tema central "Novos olhares para a saúde". O evento, que busca  contribuir para a expansão e qualificação da saúde pública no Paraná, é voltado a profissionais e dirigentes que atuam nos diversos serviços de saúde, professores, pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação em saúde, conselheiros de saúde, líderes e dirigentes de entidades e movimentos comunitários de saúde.

     

    Além de conferências, lançamentos de publicações, encontros, rodas de debate e painéis, nos dias 27 e 28 foram realizadas 56 oficinas em diversas áreas da saúde. A extensa programação inclui ainda a 2ª Mostra Paranaense de Projetos de Pesquisa para o SUS, com pôsteres dialogados e comunicações coordenadas em vários eixos temáticos, como formação em saúde, políticas públicas, gestão em saúde, vigilância, redes de atenção, tecnologias do cuidado, entre outros. Durante o Congresso 475 trabalhos científicos concorrem  ao 1º Prêmio Inova Saúde Paraná , que busca estimular a produção de pesquisas científicas de caráter inovador e a troca de experiências.