• Canal Saúde - Fiocruz
  • atalho para menu o principal desta página
  • atalho para a busca de vídeos desta página
  • atalho para o conteúdo desta página
  • atalho para os destaques desta página
  • Login do usuário

    cadastre-se aqui
    esqueci minha senha

    Destaques

    Compartilhar

    Guia sobre educação sexual prioriza direitos e igualdade de gênero
    Objetivo é assistir legisladores que preparam políticas para crianças e jovens entre 5 e 18 anos, ou mais

    ___________________________________________

    Um guia sobre educação sexual voltado para legisladores que trabalham na formação de currículos escolares completa 10 anos desde sua primeira edição.

    Em comunicado, o Programa das Nações Unidas sobre HIV/Aids, Unaids, marcou a data lembrando que o guia defende os direitos de crianças e jovens de terem uma vida saudável, segura e produtiva.

    Bem-estar

    As diretrizes foram divulgadas por especialistas da Unesco, que chamam a atenção ainda para a educação sexual de qualidade, a igualdade de gênero e o bem-estar.

    O Guia Internacional Técnico de Educação Sexual baseia-se em evidência científica atualizada e reafirma a disciplina dentro de um parâmetro de direitos humanos e igualdade de gênero, como explicou a diretora-geral da Unesco.

    Audrey Azoulay conta que o guia promove a sexualidade e as relações de uma forma positiva e centrada no melhor interesse dos jovens.

    Casamentos forçados

    Para a agência da ONU, as autoridades nacionais devem formular currículos abrangentes para alunos de 5 a 18 anos ou mais.

    O guia demonstra que a educação sexual ajuda os jovens a serem responsáveis com relação ao comportamento e à saúde reprodutiva.

    As diretrizes também ajudam a combater o êxodo escolar entre meninas por causa de casamentos forçados, gravidez na adolescência e outros assuntos de saúde sexual e reprodutiva.

    Em algumas partes do mundo, duas em cada três meninas não sabem o que acontece com elas quando começam a menstruar. Já complicações na gravidez e no parto são a segunda causa de morte entre meninas de 15 a 19 anos.

    HIV/Aids

    O guia tampouco incentiva um aumento de atividade sexual ou de comportamento de risco. Não faz subir casos de doenças sexualmente transmissíveis ou HIV/Aids. E mostra que apenas contar com programas de abstinência sexual não é garantia para evitar a iniciação no sexo, ou reduzir número de parceiros na juventude.

    A publicação revela que é preciso identificar, com urgência, a qualidade da educação sexual abrangente para levar informação aos jovens sobre a transição da infância à fase adulta e as transformações físicas, sociais e emocionais que vão enfrentar.

    Conhecimento

    Além disso, o guia quer combater desafios como falta de acesso a contraceptivos, gravides na adolescência, violência de gênero, doenças sexualmente transmissíveis e intimidações na internet ou bullying.

    Os especialistas afirmam que a publicação aumenta a conscientização sobre a prevenção ao HIV.

    Apenas 34% dos jovens demonstraram conhecimento de causa ao serem entrevistados.

    A publicação foi compilada com o apoio das agências: Unaids, Unicef, Unfpa, ONU Mulheres e OMS.

    Monica Grayley
    ONU News

    Busca por video

    Busca por vídeo

    Temas mais pesquisados